O Inbound Marketing virou modinha?

O Inbound Marketing não é uma solução milagrosa e você precisa ficar atendo a isso.

Já tem um tempo que o termo Inbound Marketing começou a ganhar destaque, sobretudo em cursos e palestras online espalhados pelos quatro cantos do país. Mas por quê essa estratégia de comunicação ganhou tantos adeptos? De fato o Inbound Marketing se mostrou, muitas vezes, ser mais efetivo que as técnicas de prospecção ativa de clientes. Mas calma lá, são tantos termos em inglês que às vezes a gente se perde, não é mesmo?

Então, vamos definir as coisas por aqui.

O Inbound nada mais é que a criação de conteúdo relevante direcionado para um público desejado. Nem precisa entender muito de marketing para notar que, oferecendo um conteúdo útil na vida das pessoas, as estratégias têm muito mais probabilidade de serem convertidas em resultados.

O grande vilão de todo esse conteúdo lindo e direcionado surgiu quando as empresas e os ditos “gurus do marketing” perceberam nessa vertente uma forma de lucrar e começaram a oferecer fórmulas prontas de conteúdo “emblemático”. Quem nunca se deparou com um anúncio de “E-book com 5 dicas infalíveis para vender na internet”, ou então “Infográfico com as 4 dicas essências para iniciar seu e-commerce do zero”. Todo esse material começou a ser produzindo de uma forma maçante e agressiva, atropelando as etapas primordiais para a criação de qualquer conteúdo como: pesquisa, análise, autoria e revisão de texto.

Esse cenário incentivou uma montanha de conteúdo supérfluo e replicado para vários segmentos diferentes, sem seguir critérios como: ter um direcionamento específico, levando em consideração as peculiaridades do mercado. Isso trouxe à tona uma avalanche de material plagiado e total falta de comprometimento com o cliente que paga pelo serviço.

Outros exemplos que ilustram bem essa armadilha digital são os treinamentos que prometem conteúdos “inigualáveis” e que transmitem um censo de urgência como “As vagas do curso irão se esgotar nas próximas 12h” ou “Acesse o e-book que eu ofereço com dicas e no final ganhe uma vídeo aula gratuita e acesso promocional ao curso X”.  Isto nada mais é que clássicos artifícios e técnicas de persuasão, remoldados para serem utilizados na era digital. Ah, se quiser conhecer mais sobre essas técnicas, leia esse artigo que já escrevi: Estratégias de persuasão no marketing digital.

Assim como toda tendência que é fortemente massificada, o Inbound já começou a apresentar sinais de fadiga. Outras ondas virão e, provavelmente, em breve ouviremos uma nova “super tendência” que também será taxada de solução para tudo. O que devemos entender é que não há problemas na criação cada vez mais acelerada dessas tendências, afinal a todo momento ocorrem transformações nas dinâmicas comportamentais e tomadas de decisão do consumidor.

O que deve ficar claro é que o Inbound Marketing não é ruim. Existem muitos profissionais que trabalham e estudam de verdade para produzir conteúdos incríveis, mas depois deste alerta, vale ficar atento para as trapaças do mundo digital.