“Abstract: The Art of Design” e o 9° episódio

Christoph Niemann, Tinker Hatfield, Es Devlin, Bjarke Ingels, Ralph Gilles, Paula Scher, Platon e Ilse Crawford. Esses são os nomes dos profissionais que estrelam o documentário “Abstract: The Art of Design” da Netflix. Apesar de o documentário tratar de “arte” do design, o que menos se fala nele é de inspiração. O fotógrafo Chuck Close inclusive fala em um dos episódios que “inspiração é para amadores”, frase que retrata muito bem o que realmente o documentário apresenta. A cada episódio que passa fica nítido as nuances e as concentrações da narrativa de cada artista. Trata-se das experiências de cada profissional, da história, do caminho de cada um até o sucesso, dos momentos cruciais na formação e principalmente na constante busca em manterem-se em transformação. Abstract fala de identidade, experiência, narrativa e envolvimento. Também aborda sobre as Influências, significados, impactos e gatilhos que fazem cada um se destacar em seu respectivo mercado.

Toda essa linearidade em cada episódio chama a atenção e me faz lembrar de um vídeo que retrata a personalidade cinematográfica de Stanley Kubrick (diretor de “Laranja Mecânica” e “O Iluminado”). E é aí que entra o trabalho do cineasta nessa brincadeira, ilustrado pelo vídeo “One Point Perspective”, mostrando um pouco dessa identidade e unicidade em cada filme do cineasta.

O que estou tentando dizer é que cada um dos profissionais do Abstract, apesar da fama, do sucesso e do dinheiro que conquistaram ao longo do tempo, tem como principal conquista a construção de seu trabalho em cima de uma narrativa própria, mantendo uma forte unicidade nos elementos que liga cada projeto executado. Resumindo, a arte do design não se trata unicamente de arte, de glamour, mas principalmente de essência e identidade. ­­É um manifesto do sentimento, experiência e originalidade de cada um.

Então, se você já assistiu a todos os episódios da série e não percebeu nada do que eu disse nesse texto, dê uma conferida no vídeo “One Point Perspective” logo abaixo e assista novamente cada episódio, com outro olhar.

E se você ainda não assistiu nem a série e nem o vídeo, já está na hora!