O De Stijl de Piet Mondrian: seu estilo e influência

Piet Mondrian foi um artista holandês de grande renome no século XX, suas obras exercem até hoje forte influência, sobretudo, nas artes gráficas e arquitetura.

Nascido em 1872, Mondrian foi o responsável pela fundação do movimento Neoplasticismo, originado a partir da criação da revista De Stijl. Em 1917 inicia a circulação, um marco na arte moderna e abstracionista.

Piet Mondrian estudou na academia de Belas Artes de Amsterdã, onde se desenvolveu como artista, posteriormente lecionou arte por um breve período, contudo preferiu seguir o seu dom e dedicar-se a pintura.

No inicio suas obras retratavam paisagens sombrias, com ênfase nas cores acinzentadas, mais tarde começou a experimentar cores brilhantes e logo adotou o cubismo como forma de representação, porém esse ainda não era o estilo que o artista se consolidaria, algum tempo depois, começou a vislumbrar o estilo abstrato e foi nele que sua inspiração progrediu.

 

Árvore Vermelha (1908) Árvore Vermelha (1908)

 

O Moinho Vermelho (1910) O Moinho Vermelho (1910)

 

Sua representação do abstrato era composta por linhas e traços horizontais e verticais, uma composição ousada, porém limitada em elementos.  As formas geométricas ganharam destaque, fazendo uma contextualização estratégica com as cores primárias (azul, vermelho e amarelo), já o preto era utilizado, sobretudo, nas linhas, e o branco equilibrava o arranjo da obra que possuía estrutura simplista e marcante.

 

Composição em vermelho, amarelo, azul e preto (1921) Composição em vermelho, amarelo, azul e preto (1921)

 

Mondrian não usava linhas sinuosas e curvas, pois acreditava que as superfícies –telas- deveriam ser desenvolvidas com elementos planos e linhas retas, sua intenção era retratar a harmonia do universo através do equilíbrio das formas. Seguindo esse conceito, ele deu origem a vários quadros de extrema importância para a arte moderna.

 

Composição com vermelho,amarelo e azul (1935-1942) Composição com vermelho,amarelo e azul (1935-1942)

 

Em seu ultimo trabalho, a essência do abstrato foi começando a ficar de lado, na obra “Broadway Boogie-Woogie”, inspirada em um ritmo de dança. Ele remove os traços negros e usa vários quadrados minúsculos sobrepostos, criando um equilíbrio dinâmico e não essencialmente abstrato, já que o estímulo, dessa vez surgiu de algo real, a dança.

 

Broadway-boogie-woogie (1942)

Broadway-boogie-woogie (1942)

 

Mondrian se afirmou como artista, principalmente através do movimento abstrato, suas obras deixaram um enorme legado para inúmeras gerações, isso se reflete na atualidade, onde podemos observar especialmente, artistas, designers, fotógrafos e arquitetos utilizando como fonte de referencia seu trabalho.

São inúmeras referencias ao artista, confira abaixo:

Ambiente inspirado na obra de Piet Mondrian
Ambiente inspirado na obra de Piet Mondrian
Tênis Nike inspirado na obra de Piet Mondrian

Yves Saint-Laurent inspirado na obra de Piet Mondrian Yves Saint-Laurent inspirado na obra de Piet Mondrian

 

Embalagem L'oréal inspirada na obra de Piet Mondrian

 

A Cadeira Vermelho e Azul Uma cadeira projetada em 1917 por Gerrit Rietveld. Ela representa uma das primeiras explorações do De Stijl, movimento de arte em três dimensões.

 

Coleção de Sarah Schofield inspirada na obra de Piet Mondrian Coleção de Sarah Schofield inspirada na obra de Piet Mondrian

 

Recentemente nós ganhamos um ótimo presente, no dia 25 de janeiro iniciou a exposição “Mondrian e o Movimento de Stijl” em São Paulo, são cerca de 70 obras do movimento de Stijl e 30 só de Mondrian. A exposição ficará aberta ao público até o dia 04 de abril no CCBB-SP (Centro Cultural Banco do Brasil), mas ainda percorrerá Brasília, Rio de Janeiro e Belo Horizonte até 2017.